top of page
  • Foto do escritorVet + Vida Clínica Veterinária

Como proteger seu pet em dias quentes?

Atualizado: 6 de dez. de 2022

Os dias de sol e calor geralmente são os mais aguardados do ano, mas vale lembrar que esse período também vem com desvantagens, inclusive para nossos pets, que não apresentam glândulas sudoríparas para liberar o calor e precisam da nossa ajuda para diminuir a temperatura corporal!





Mantenha seu pet sempre hidratado

Humanos tomam água para poder repor o que foi perdido através do suor. Seu pet também precisa tomar água, para repor o que foi perdido através da transpiração. Por mais que você não consiga perceber que seu pet está transpirando, tenha sempre o cuidado de oferecer mais água em dias de calor, para garantir a hidratação.


Troque a água da tigela com frequência e, se estiver muito quente, coloque um gelinho nela. A água gelada ajuda a resfriar o corpo e abaixar a temperatura do organismo.


Tenha cuidado com os exercícios físicos

É fundamental que os cães façam atividades físicas diariamente para gastar energia, e para se manter saudáveis mental e fisicamente. No entanto, é preciso ter muito cuidado, tanto com o tempo de exercício quanto com a intensidade dele na época mais quente do ano.


Cães regulam a temperatura corporal arfando e, por ser pouco eficiente, o processo ocorre de maneira mais lenta. Com as atividades físicas, a temperatura do corpo se eleva e, por isso, é preciso ir com calma.


Faça caminhadas e corridinhas leves e intercale qualquer brincadeira, com pausas para descanso e água. Deixe-o respirar bem antes de começar os movimentos outra vez.


Nunca deixe cães e gatos em locais muito abafados

Deixar o pet no carro ou em qualquer local abafado e sem circulação de ar, nem pensar!

No verão, as chances dele sofrer hipertermia (aumento brusco da temperatura corporal, que ultrapassa a capacidade compensatória do organismo), são maiores.


Nesses casos, seu pet pode apresentar cansaço, língua roxa (cianose), dificuldade para andar, respiração ofegante, vômitos e diarreias, chegando a convulsões e perda de consciência.


A hipertermia leva à disfunção dos órgãos, podendo causar a morte.




Respeite os melhores horários para passeio

Se você quer levar seu pet para passear e tomar um sol, faça o que já é recomendado para proteger a sua própria pele: evite passeios entre às 10h e 16h, pois são nesses períodos ocorre uma a incidência de radiação UVB, a principal responsável pelo câncer de pele, que também atinge os pets.


Atenção com o chão muito quente

Você já reparou que andar em pisos quentes com os pés descalços pode ser extremamente desconfortável? Para o seu pet, a situação é a mesma!


Tome cuidado com o chão em que o seu amigo de quatro patas pisará nos dias muito quentes, principalmente no asfalto, que pode causar queimaduras nos coxins (as almofadinhas das patinhas), nos momentos mais quentes do dia


Atenção redobrada com filhotes, idosos, obesos e braquicefálicos

Em geral, cães idosos e filhotes têm mais dificuldade de suportar temperaturas elevadas. Da mesma forma, cães braquicefálicos (de crânio achatado e focinho curto) e/ou obesos têm maior tendência a apresentar problemas respiratórios e mais dificuldade para perder calor.


Preste muita atenção a qualquer sinal de cansaço e respiração mais ofegante.


Garanta sempre lugares frescos e arejados

Em casa, na praia, durante as viagens ou passeios, é muito importante que o pet tenha acesso à sombra e a áreas mais frescas. Conforme a situação, usar ar-condicionado, manter janelas abertas, garantir a oferta de sombras de árvores e guarda-sol, também são ótimas opções para diminuir o calor de cães e gatos.


Converse com seu médico veterinário de confiança sobre a necessidade de tosa

Se você acha que a tosa é a melhor maneira de amenizar o calor dos peludos, você pode estar enganada!


Ao contrário do que a maioria das pessoas acreditam, nem todos os cães precisam de tosa. O pelo funciona como um isolante térmico, tanto para absorver quanto para dissipar o calor.


A decisão de tosar ou não o seu pet, vai depender da raça e características do pelo. Raças com pelos mais longos e com tendência a nós, precisam ser tosadas com mais frequência. Na dúvida, consulte um especialista.


Além disso, mantenha a escovação do seu pet em dia para evitar que pelos mortos se acumulem, e impeçam a troca de calor.


 

Endereço: Avenida Dezesseis de Agosto, Nº 16, São Roque - SP

Horário de funcionamento: Segunda à sexta das 08h às 20h | Aos sábados das 08h às 13h Telefone: (11) 4784-3641 | (11) 97205-9451 | (11) 96862-8725

29 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page