top of page
  • Foto do escritorVet + Vida Clínica Veterinária

Março Amarelo Pet: mês de combate e prevenção de doenças renais!

Você sabia que um em cada três gatos, e um em cada 10 cães desenvolve algum problema renal ao longo da vida? As doenças renais são problemas comuns e silenciosos, por isso, datas como o Março Amarelo Pet são fundamentais para ajudar no diagnóstico e prevenção!


O que você vai encontrar nesse post:



Como começou o Março Amarelo?

Como o dia 12 de março é o Dia Mundial do Rim, março foi escolhido como o mês para prevenir e tratar a doença renal nos pets.


A campanha já acontece no Brasil há 7 anos, espalhando informação sobre o diagnóstico e os sintomas dessa complicação.


Entenda a importância da campanha Março Amarelo Pet

O principal objetivo do Março Amarelo Pet é conscientizar os tutores com relação à prevenção e tratamento de cães e gatos com doenças renais crônicas. Infelizmente, não há cura para esse tipo de enfermidade, e o tratamento e controle são feitos pelo resto da vida do pet.


Por essa razão, é de suma importância que todos os tutores estejam cientes de assuntos envolvendo as doenças renais para que, assim, sejam usadas algumas estratégias para a prevenção.


Assim como os dos seres humanos, os rins de cães e gatos têm – entre outras funções – a função de filtrar o sangue para eliminar substâncias nocivas ou dispensáveis ao organismo. E para mantê-los saudáveis, é fundamental oferecer uma alimentação de qualidade e doses diárias de água potável.


A Doença Renal Crônica (DRC)

Existe uma série de doenças associadas aos rins, como os cálculos e a insuficiência renal. Dentre elas, a que ganha mais atenção no Março Amarelo é a DRC. Essa doença é crônica e silenciosa.


Embora não tenha cura, a DRC pode ser tratada, principalmente quando o diagnóstico é feito de forma precoce.


Sintomas da DRC

Tanto em cães quanto em gatos, a doença renal crônica pode aparecer a partir dos 6 anos na maior parte dos casos.


Os principais sintomas são:

  • Consumo excessivo de água (repentino)

  • Emagrecimento;

  • Perda de apetite;

  • Mau hálito;

  • Urina mais clara que o normal;

  • Urina com sangue;

  • Diarreia;

  • Vômitos.

Além desses sinais, o pet pode apresentar desidratação ou úlceras na boca, especialmente em casos considerados mais graves. Nos casos mais avançados, nossos pets podem perder até 75% da função dos rins.



Raças com tendência a problemas renais

Apesar de todos os cães e gatos serem suscetíveis às doenças renais, algumas raças são mais acometidas que outras, entre os pacientes que apresentam essas alterações.


Em cães, as principais raças são:

  • Beagle;

  • Cocker;

  • Lhasa Apso;

  • Maltês;

  • Pastor Alemão;

  • Poodle;

  • Dachshund

  • Pinscher;

  • Shih-Tzu;

  • Schnauzer;

  • Shar Pei;

  • Bull Terrier;

  • Schnauzer.

Já em felinos, as principais raças são:

  • Abissínio;

  • Angorá;

  • Azul Russo;

  • Birmanês;

  • Maine Coon;

  • Persa;

  • Siamês.


Diagnóstico e tratamento


O diagnóstico das doenças renais é feito com auxílio de exames complementares, como: coleta de exames de sangue, urina e até exames de imagem.


Apesar de não haver cura para a doença renal crônica, é possível desacelerar a progressão da doença e aliviar os sintomas com aplicação de soro (fluidoterapia), controle dos níveis de eletrólitos (cálcio, fósforo, sódio potássio dentre outros importantes), medicamentos e dieta específica.


Assim como acontece conosco, os hábitos saudáveis são a chave para a prevenção de grande parte das doenças que acometem os nossos pets.


Com o avanço da idade, é esperado que as funções renais diminuam, mas as chances de isso acontecer mais lentamente são maiores se o pet tiver se mantido saudável durante toda a vida.


Lembre-se: quanto antes a doença for descoberta, mais rápido será o tratamento!


 

Endereço: Avenida Dezesseis de Agosto, Nº 16, São Roque - SP

Horário de funcionamento: Segunda à sexta das 08h às 20h | Aos sábados das 08h às 13h Telefone: (11) 4784-3641 | (11) 97205-9451 | (11) 96862-8725

69 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page